Turismo

Home/ Notícias Online/ Turismo/ Bagagem legal e segura

Bagagem legal e segura

Publicada em : 18/12/2015

Compras no exterior: saiba o que é proibido trazer

divulgação
O fim do ano se aproxima, e as tão sonhadas férias, também. E quando se pensa em viajar para o exterior, certamente, trazer algumas lembrancinhas do lugar que visitou também faz parte do plano. Mas o que muitos desconhecem é que nem tudo pode entrar no País. Aquele doce de leite dos sonhos consumido na Argentina, por exemplo, terá de ficar apenas na memória.

Produtos agropecuários sem autorização prévia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) não podem entrar no Brasil. Além do doce de leite, queijo, mel, carnes, flores, mudas, sementes, entre outros, também não podem ser trazidos. Esses produtos podem estar contaminados por fungos, bactérias e insetos perigosos e inexistentes ou em erradicação no País.  O risco é a contaminação de rebanhos e lavouras, com consequências desastrosas para a produção agropecuária nacional e à saúde da população.  O alerta é do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical). A campanha Bagagem Legal distribui informativos nos principais aeroportos internacionais brasileiros, com o intuito de alertar a população sobre os perigos. 

Os viajantes que forem pegos por transportar produtos proibidos têm os alimentos confiscados e destruídos pelos fiscais e podem responder, até, por crimes ambientais. De acordo com o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto, nem mesmo a refeição servida durante o voo é aprovada pela fiscalização. “Uma fruta oferecida durante a viagem, por exemplo, pode estar com alguma praga, que, ao ser descartada em solo brasileiro, pode se propagar e infestar nossas lavouras”, explica. 

Mas nem tudo precisa ficar de fora da bagagem. Os chocolates e bebidas como vinhos, chás, sucos e refrigerantes, além de cafés solúveis, torrados e moídos e azeites podem entrar no Brasil. Eles fazem parte dos produtos considerados processados. Mas atenção: nem todos os produtos processados são liberados a entrar no País. Há produtos de origem animal que, mesmo industrializados e devidamente embalados e rotulados, requerem a apresentação de certificação sanitária internacional que atenda aos requisitos de importação brasileiros estabelecidos ao tipo de produto. “É importante que os viajantes tenham consciência sobre o que é permitido entrar no País. É uma questão de segurança sanitária e de sanidade agropecuária”, esclarece Maurício.

Para saber mais, consulte a página do Mapa, em:

http://www.agricultura.gov.br/portal/page/portal/Internet-MAPA/pagina-inicial/carta-de-servico-ao-cidadao/atendimento-aeroportos.

Veja abaixo os produtos que podem e os que não podem entrar no País sem certificação/autorização prévia do ministério.

Permitidos: óleos; álcoois; frutos em calda; chocolate; café torrado e moído; sucos; vegetais em conserva; arroz; farinha e erva-mate industrializados.

Proibidos: frutas e hortaliças frescas; insetos; caracóis; bactérias e fungos; flores; plantas ou partes delas; bulbos; sementes; mudas e estacas; aves domésticas e silvestres; espécies exóticas; peixes e pássaros ornamentais; abelhas; carne de qualquer espécie animal, in natura ou industrializada (embutidos, presunto, salgados, enlatados); leite e produtos lácteos; produtos apícolas (mel, cera, própolis); produtos para animais; ovos e derivados; madeiras não tratadas; agrotóxicos; material biológico para pesquisa científica, entre outros.

Fonte:RP1 Comunicação